Pular para o conteúdo principal

- quartinho dos fundos

Em certo capítulo do passado, eu assumo: tive dúvidas. Tive medo também. Mas quem é que não tem? Quem é que nunca teve que respirar fundo perante uma encruzilhada emocional? Não sei se graças à imaturidade que havia em mim – e que naturalmente ainda há – ou se devido à ganância que o mundo adulto me ensinou a ter, só sei que, em algum momento já ultrapassado, eu não soube dizer, a mim mesmo, em qual cômodo do meu coração eu alojaria você. Juro que eu não sabia. Não fiz por mal. Entregar-lhe o quarto principal, aquele que pouquíssimos tiveram o privilégio de usar, pareceu-me demasiadamente precoce e arriscado. Afinal, aquele lugar – para mim – sempre foi – e ainda é – sinônimo de coisa extremamente séria. Por outro lado, dar-lhe apenas a chave do quartinho dos fundos – aquele com colchão no chão, ventilador pifado e sem janelas – pareceu-me algo pequeno demais para o que eu já sentia por você. Então, enquanto eu respirava fundo e buscava, nos detalhes da nossa crescente convivência, a óbvia resposta para a minha indecisão, deixei você no confortável, porém, demasiadamente impessoal quarto de visitas. Deixei você lá, pois eu não queria lhe perder. Não queria, de maneira alguma, que você saísse dali. E você, felizmente, nunca reclamou de nada. Nunca, por nenhum motivo, pediu-me a chave do quarto principal ou tentou arromba-lo. Apenas se manteve, como alguém que sabia para onde queria ir, paciente. Sei que outros – muitos outros – não teriam esperado o tempo que você esperou pela minha indecisão. Porém, você – especial como só você sabe ser – ficou por lá, sorrindo para porta-retratos que não continham fotos suas e deitado na cama cujo edredom era amarelo – a cor que mais odeia. Mas ficou. Ficou até que eu percebesse que nossas viagens não se tratavam apenas de turismo “boêmio-gastronômico”. Ficou até que eu notasse que naqueles lugares, que muitas vezes eram bem diferentes das fotos que víamos na internet, acontecia um fenômeno raro e extremamente maravilhoso: a convivência harmônica e amorosa entre duas pessoas. Você ficou, sem reclamar, até que eu soubesse o quanto abrir mão de você – ao contrário do que cheguei a pensar – não me tornaria mais leve para voar e sim, um pássaro sem arranque e com defeito nas asas. “Como assim?”, você talvez me pergunte. Eu explico: você, muitas vezes, foi a coragem decisiva para que meus voos saíssem do papel e o pontapé na minha bunda necessário para que eu rompesse a inércia e o comodismo. “E se não der certo?”, eu lhe perguntei. “Aí você tenta de novo!”, você respondeu. “E se o meu dinheiro não permitir mais que comamos fora?”, eu questionei. “Com você, um filé de frango com purê de batatas se torna o melhor jantar do mundo!”, você respondeu. Aí veio a luz: ficar com você, definitivamente, não era deixar de ter todos os outros. Pelo contrário: ficar com você era ter todos os outros – os melhores homens – em um só. Como pude não saber se você era pessoa ideal para o quarto principal do meu coração? Só sei que eu não sabia e que você ficou, sem reclamar, no quarto de hóspedes. Ficou imóvel entre os móveis da minha indecisão infantil e os quadros que pareciam não fazer parte de nenhum movimento. Ficou e, felizmente, não saiu correndo. Até o dia em que eu, pensando em nossas raríssimas brigas e incontáveis alegrias compartilhadas, resolvi mudar, ou melhor, mudá-lo de lugar. Tranquei o quarto de visitas e abri, somente para você, o cômodo principal do meu peito. E, sabe da melhor parte? O vazio foi embora. Um vaso tão grande que não poderia ficar sem nenhuma flor dentro, mesmo que essa flor – diferente da maioria – goste mais dos cactos do que das rosas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 coisas que você deve saber antes de namorar uma mulher inteligente com uma alma antiga:

1. Ela não vai ser fazer de difícil, mas também não vai ser fácil. 2. Ela vai fazê-lo apaixonar muito intensamente. 3. Ela vai ser a agonia e o êxtase de um poema de Charles Bukowski, amando-o hoje e buscando uma fuga para a liberdade amanhã. 4. Ela não vai saber como se acostumar, porque foi feita para ser livre. 5. Quando ela se abrir, vai surpreendê-lo com respostas a questões que você não sabia que estava vivendo. 6. Ela vai ser sua melhor amiga e seu romance mais intenso. 7. Você vai querer estar lá para ela, como uma recompensa por todos os momentos em que ela esteve lá por você. 8. Você nunca será capaz de esquecê-la. 9. Se você a deixar, ela não vai desesperar para que você volte. Ela é muito consciente para correr atrás de quem não a quer. 10. Ela será um livro aberto e um mapa iluminado para novas aventuras e descobertas. 11. Quando ela sentir sua falta, vai expressar da maneira mais criativa possível. 12. Ela sempre ouvirá o que você tiver a dizer. 13. Sua paix…

Recado Sincero De Uma Mulher Que Só Quer Sexo e Nada Mais

Garoto, você tem que ir. Não é nada pessoal. Bem, na verdade é. Mas é comigo. Não há nada de errado em você. Mas eu não costumo passar uma noite inteira com alguém. Tenho insônia diante da cama dividida. Por favor, me entenda. Você transa maravilhosamente. Sei que estamos nessa há umas três semanas e eu até agora não respondi romanticamente nenhum de seus SMS. Mas eu não quero me envolver além do corpo, sabe? Não é para dormirmos de conchinha. Não quero dividir casquinhas de sorvete, presentes comuns ou travesseiros. Não é para eu conhecer a sua mãe e ouvi-la dizer todas as coisas que você gosta e ver as suas fotos de infância na qual você dançava quadrilha de chapéu e bigode pintado. Não quero conhecer o seu pai e vê-lo te olhar com cara de aprovação pelo “belo trabalho”. Não quero que você conheça a minha família, também. Eles te perturbarão com mil perguntas que tenho certeza que não está disposto a respondê-las. Então, pegue tuas coisas na sala e durma em sua casa, por favor. Qu…

Seja transparente!

Difícil ser transparente?
Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros, mas ser transparente é muito mais do que isso...
É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar dos nossos sentimentos!
Muitos de nós preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo de nossos seres, mas se agíssemos com o coração, poderíamos evitar mta dor.
Sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura!
Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencível. Que consigamos apenas docemente viver, sentir e amar.
E que você seja não só razão, mas também coração. Não só um escudo, mas também sentimento.
Seja transparente, apesar de todo o risco que isso possa significar.

Beijos,

Camila Ribeiro