Pular para o conteúdo principal

- Quando dizer "Eu te amo" ♥

Tenho sérios problemas com a frase “eu te amo“. Até alguns poucos anos atrás, evitava dizê-la até para meus pais depois deles brigarem comigo! rs. É como se algo dentro de mim sempre travasse a fala e me fizesse realmente pensar antes de soltar uma frase que costuma causar tanto efeito. E nesse espaço de tempo onde o sorriso amarelo dá margem ao pensamento, ter certeza se quer realmente dizer aquilo, as pessoas se frustram. Em diversas situações me senti constrangida, soltando desde “obrigada” à silêncios mais obscuros que a profundeza de almas sem coração. Sabe, eu tenho um coração. E até gosto de expor meus sentimentos; mas os anos me tornaram cética demais para banalizar as coisas. Eu não consigo acreditar no amor como algo complexo, sem freio, sem nexo e sem definição: prefiro simplificar tudo, fazer dele algo leve e calmo. Nesse caso, quando sair um “eu te amo” de minha boca, ele veio na verdade do meu coração. Ele quis dizer de uma vez só, todas as maneiras que eu sei dizer que gosto e quero aquele alguém por perto o máximo de tempo possível que aguentarmos um ao outro. Não banalizar os sentimentos e frases fortes faz a vida ainda valer à pena. Faz mostrar na hora certa a real importância e intensidade do que se sente. Dizer “eu te amo” se tornou um problema quando todo mundo passou a dizê-lo. Que importância tem algo dito com a frequência de “eu quero dois pães, por favor”? Sou a favor de repensarmos nossas intensidades. Talvez a necessidade de atenção e amor instantâneo tenha nos tornado em pessoas “miojo”, prontas para amar a cada três minutos. Que eu te amos sejam ditos apenas quando borboletas falarem mais alto no estômago, e o coração mande impulsos de quase perder o ar para o resto do corpo. No meu mundo, frases fortes e sentimentos extremos devem ser demonstrados em situações onde estejamos muito perto de chorar de alegria. Porque o choro é o corpo explodindo em emoção sem precisar de palavras: é o sinal que sentimos algo tão forte que não dá pra segurar.Como um “eu te amo”. Beijos, Camila Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos marcar um dia?

Pra ler ouvindo. Banda do mar - Vamo embora. Se você não gostar, eu saio. Se gostar, eu fico. Se eu ficar, eu moro. Se eu morar, unidos. Se eu não gostar, eu saio. Se eu sair, te levo. Se eu te levar, pra sempre. Se pra sempre, sorrio. Vamos marcar um dia pra eu te contar como eu vejo o mundo? Sou especialista em achar as coisas, pois de base tenho algumas experiências e alguns filmes. Mas vai que você pega gosto pelo jeito que eu vejo? E de carona pega gosto pelo jeito que te pego. Vai que. Também quero saber como você vê as coisas. Estou empolgado em imprimir suas palavras pra levar no bolso e me lembrar que o meu não é o único jeito de ver a vida. Se der certo, eu vibro. Se não der certo, eu guardo. Se eu guardar, pra sempre. Se pra sempre, unimos. Vamos marcar um dia pra me contar de você? Quando souber, me fala o dia, aí eu já reservo minutos da minha vida pra dar atenção à sua. Quem sabe se fará um ensaio do que lá na frente vamos rir e suspirar sobre a presença um do outro…

te amo.

"Mas não diz eu-te-amo assim, cuspido ou sem fundamento ou por não saber o que falar. Diz que teve saudades quando sentiu meu perfume em alguma moça por aí, que lembrou de mim ao ouvir aquela canção da Mallu sobre o batom vermelho e que a moça do filme "O lado bom da vida" é doida como eu. Diz que te faço feliz, também, e aí sim acreditarei em eu-te-amo ou coisa assim."

do começo não dá pra enxergar o fim.

Vai durar o necessário. Talvez não tanto quanto eu gostaria. Talvez não tanto quanto você gostaria. Eu nem sei quem é você ainda. Você nem faz ideia de que eu sou. Vai durar algum tempo, sei lá quanto. Algum tempo. E que diferença faz saber agora? O medo de viver o fim atrapalha a gente de viver o começo. O que você vai fazer se eu acordar amanhã achando graça em outro sorriso? O que eu vou fazer se você acordar amanhã não querendo mais me responder no chat? São perguntas que a gente não precisa da resposta agora. Enquanto eu tiver disposta a continuar tendo você na minha vida, vou te ter. Eu não quero saber quando a gente vai terminar e como vai ser! Eu não quero ter que pensar na possibilidade da sua companhia deixar meus dias! Eu quero um espaço na sua vida pra eu encostar a minha. Nossa história não envolve nada além um do outro. E as datas de validade só servem para acelerar o consumo. Eu quero viver devagar. MAS CARALHO E DAÍ QUE ISSO TUDO PODE TERMINAR NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA?…