Pular para o conteúdo principal

- Ciumes ♥

Eu quero levar, uma vida moderninha;
Deixar minha menininha sair sozinha;
Mas eu me mordo de ciúme.
(Ultraje a Rigor)

Só quem foi vítima de ciúme sabe o valor da liberdade.
Alguns psicológos classificam o ciúme como doença.
Infelizmente já fizeram esse lindo ouvido de penico, acusaram-me de não gostar, de não amar, de não ligar, de ter gelo correndo nas veias e, quando explico que ciúme é diferente de posse, sou taxada de racional.
Já dei risada, já gargalhei de manifestações tidas como ciumentas ou de posse, como preferirem.
Afinal, o que os homens esperam de nós mulheres?
Que façamos campana em frente de suas casas/trabalho para pega-los em flagrante delito?
Que choremos dia sim dia também pela sua atenção?
Se esperarem isso de mim, que puxem uma cadeira e sentem, porquê de pé cansa. Sinto muito, mas temperamento vem de fábrica. Não tenho esse sentimento de posse, de é meu e ninguém tasca, não com relação a homens.
Também não me atrevo a cuspir para cima, sei que a gravidade não perdoa, e neste rostinho onde mamãe deu beijinho..... (Tati Tatuada)

Beijos,
Camila Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

te amo.

"Mas não diz eu-te-amo assim, cuspido ou sem fundamento ou por não saber o que falar. Diz que teve saudades quando sentiu meu perfume em alguma moça por aí, que lembrou de mim ao ouvir aquela canção da Mallu sobre o batom vermelho e que a moça do filme "O lado bom da vida" é doida como eu. Diz que te faço feliz, também, e aí sim acreditarei em eu-te-amo ou coisa assim."

Vamos marcar um dia?

Pra ler ouvindo. Banda do mar - Vamo embora. Se você não gostar, eu saio. Se gostar, eu fico. Se eu ficar, eu moro. Se eu morar, unidos. Se eu não gostar, eu saio. Se eu sair, te levo. Se eu te levar, pra sempre. Se pra sempre, sorrio. Vamos marcar um dia pra eu te contar como eu vejo o mundo? Sou especialista em achar as coisas, pois de base tenho algumas experiências e alguns filmes. Mas vai que você pega gosto pelo jeito que eu vejo? E de carona pega gosto pelo jeito que te pego. Vai que. Também quero saber como você vê as coisas. Estou empolgado em imprimir suas palavras pra levar no bolso e me lembrar que o meu não é o único jeito de ver a vida. Se der certo, eu vibro. Se não der certo, eu guardo. Se eu guardar, pra sempre. Se pra sempre, unimos. Vamos marcar um dia pra me contar de você? Quando souber, me fala o dia, aí eu já reservo minutos da minha vida pra dar atenção à sua. Quem sabe se fará um ensaio do que lá na frente vamos rir e suspirar sobre a presença um do outro…

do começo não dá pra enxergar o fim.

Vai durar o necessário. Talvez não tanto quanto eu gostaria. Talvez não tanto quanto você gostaria. Eu nem sei quem é você ainda. Você nem faz ideia de que eu sou. Vai durar algum tempo, sei lá quanto. Algum tempo. E que diferença faz saber agora? O medo de viver o fim atrapalha a gente de viver o começo. O que você vai fazer se eu acordar amanhã achando graça em outro sorriso? O que eu vou fazer se você acordar amanhã não querendo mais me responder no chat? São perguntas que a gente não precisa da resposta agora. Enquanto eu tiver disposta a continuar tendo você na minha vida, vou te ter. Eu não quero saber quando a gente vai terminar e como vai ser! Eu não quero ter que pensar na possibilidade da sua companhia deixar meus dias! Eu quero um espaço na sua vida pra eu encostar a minha. Nossa história não envolve nada além um do outro. E as datas de validade só servem para acelerar o consumo. Eu quero viver devagar. MAS CARALHO E DAÍ QUE ISSO TUDO PODE TERMINAR NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA?…