Pular para o conteúdo principal

- Essa coisa de cara metade ♥

Meu, estava na semana passada com duas amigas falando sobre nossos namorados achei uma coisa bacana de se falar aqui. Uma delas havia terminado um noivado de seis anos e estava desolada pois tinha a certeza que o cara era o amor da vida dela. Minha outra amiga também tinha terminado com o namorado para ver se ele tomava jeito e tinha a mesma certeza: o cara era o cara. Bem, para falar a verdade até eu tava meio desolada da vida e sem namorado, mas fiquei com uma dúvida: temos mesmo só um amor na nossa vida?

Eu discordei na hora e continuo a discordar. Tive um namorado que eu amei bastante porem não deu certo. Até então, eu concordaria com elas. Na época, eu achava que ele era o cara, mas depois percebi que não, ao contrário. Mas é engraçado como tendemos a achar que tudo é para sempre e que a pessoa é a certa, a nossa metade. É naquela, vc está com uma pessoa e diz a ela que é sua alma gemea, mas se um dia terminarem, não acharei que estarei fadada a infelicidade, como as minhas amigas. Vou sofrer, mas não irei me achar uma infeliz para sempre.

Essa coisa de achar que temos que encontrar a outra metade da alma vem dos gregos, do mito do Andrógino, do livro Banquete de Platão, escrito pelo discursista Aristófanes. Segundo ele, habitavam a terra três gêneros humanos. Os seres possuíam duas cabeças e todos os órgãos e membros em dobro. Zeus, cansado da insolência deles, decidiu partir-lhes ao meio, para que passassem a vida inteira se ocupando de procurar a sua metade, diz a lenda. Os que eram totalmente femininos geraram as lésbicas, os masculinos aos gays e dos andróginos, seres metade homem - metade mulher, os heterossexuais. E não é exatamente isso que fazemos? Perdemos tempo procurando a nossa metade perfeita? Mas quão injusto é pensar que só uma pessoa pode nos fazer completo? Matematicamente, seria mais provável ganhar na Mega Sena do que achar a tal metade.

Engraçado que na natureza muitos animais parecem concordar com o mito grego. Entre os mamíferos, 5% das espécies são monogâmicas, ou seja, possuem apenas um parceiro por toda a vida. Mas os exemplos são lindos: Araras, pingüins, castores, lontras, águias, alguns roedores, todos chegam a ter sinais de depressão quando o companheiro morre. Mas entre os seres humanos parece que a idéia surgiu para justificar o fim de relacionamentos. Quando terminam, a gente acredita que ainda não apareceu a pessoa certa. Mas e as pessoas que tem essa certeza, de que já conheceram a pessoa certa, ou aquelas que acham que a pessoa certa é o cônjuge de outra, ou então aqueles de quem a tal alma gêmea já se foi? Eternos infelizes? Acho injusto.

Acabou que o papo com as amigas não foi muito longe, uma continuou a achar que perdeu o homem de sua vida e a outra está disposta a lutar e seguir as escolhas do namorado, se sacrificando. O amor é lindo. Cego, surdo e, quase sempre, irracional. Acredito que podemos sim encontrar outras pessoas que nos façam felizes, mais ou menos, mas rotular alguém como a pessoa certa depois que o relacionamento deu errado não acho eloquente. Podemos ser seres mais completos, talvez precisemos sempre de alguém para nos completar, mas jogar essa responsabilidade em outra pessoa é algo terrível. Terapia, autoconhecimento, amor próprio, eu diria a quem não é feliz estando solteiro ou com outra pessoa. Aos enamorados satisfeitos: que seja eterno, enquanto dure.

Beijos,

Camila Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos marcar um dia?

Pra ler ouvindo. Banda do mar - Vamo embora. Se você não gostar, eu saio. Se gostar, eu fico. Se eu ficar, eu moro. Se eu morar, unidos. Se eu não gostar, eu saio. Se eu sair, te levo. Se eu te levar, pra sempre. Se pra sempre, sorrio. Vamos marcar um dia pra eu te contar como eu vejo o mundo? Sou especialista em achar as coisas, pois de base tenho algumas experiências e alguns filmes. Mas vai que você pega gosto pelo jeito que eu vejo? E de carona pega gosto pelo jeito que te pego. Vai que. Também quero saber como você vê as coisas. Estou empolgado em imprimir suas palavras pra levar no bolso e me lembrar que o meu não é o único jeito de ver a vida. Se der certo, eu vibro. Se não der certo, eu guardo. Se eu guardar, pra sempre. Se pra sempre, unimos. Vamos marcar um dia pra me contar de você? Quando souber, me fala o dia, aí eu já reservo minutos da minha vida pra dar atenção à sua. Quem sabe se fará um ensaio do que lá na frente vamos rir e suspirar sobre a presença um do outro…

te amo.

"Mas não diz eu-te-amo assim, cuspido ou sem fundamento ou por não saber o que falar. Diz que teve saudades quando sentiu meu perfume em alguma moça por aí, que lembrou de mim ao ouvir aquela canção da Mallu sobre o batom vermelho e que a moça do filme "O lado bom da vida" é doida como eu. Diz que te faço feliz, também, e aí sim acreditarei em eu-te-amo ou coisa assim."

do começo não dá pra enxergar o fim.

Vai durar o necessário. Talvez não tanto quanto eu gostaria. Talvez não tanto quanto você gostaria. Eu nem sei quem é você ainda. Você nem faz ideia de que eu sou. Vai durar algum tempo, sei lá quanto. Algum tempo. E que diferença faz saber agora? O medo de viver o fim atrapalha a gente de viver o começo. O que você vai fazer se eu acordar amanhã achando graça em outro sorriso? O que eu vou fazer se você acordar amanhã não querendo mais me responder no chat? São perguntas que a gente não precisa da resposta agora. Enquanto eu tiver disposta a continuar tendo você na minha vida, vou te ter. Eu não quero saber quando a gente vai terminar e como vai ser! Eu não quero ter que pensar na possibilidade da sua companhia deixar meus dias! Eu quero um espaço na sua vida pra eu encostar a minha. Nossa história não envolve nada além um do outro. E as datas de validade só servem para acelerar o consumo. Eu quero viver devagar. MAS CARALHO E DAÍ QUE ISSO TUDO PODE TERMINAR NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA?…