Pular para o conteúdo principal

A vida

Quando a vida nos leva para momentos difíceis, é preciso abstrair, aprender a lidar com os problemas sem deixar que eles nos afetem. A tarefa é um exercício diário que envolve a necessidade de analisar a situação, antes de deixar que ela nos atinja. Não sei qual momento da minha vida me levou a aprender isso, talvez tenha sido a forte "depre"que me abateu com o término do meu antigo namoro sério, mas aprendi a ver o lado bom e a ignorar o que ainda não estava de acordo, ou melhor, a trabalhar o que fosse negativo para se tornar positivo.
Sempre que nos acontece algo inesperado e ruim temos como reação reclamar. Queixar-se não muda nada, temos que partir para a ação. Mas antes de tomar atitudes, precisamos analisar a situação, de modo frio, e para isso precisamos nos distanciar do fato. Abstrair não é ignorar os problemas mas admitir que problemas sempre estarão presentes e que devemos aprender a conviver com eles e esperar a hora certa para eliminá-los.
Por exemplo, se a relação está ruim, não vale a pena ficar culpando o outro ou ficar destacando seus defeitos e erros. Ao invés disso, deve-se celebrar o que passaram juntos, lembrar os momentos bons e procurar mudar a rotina, dar uma chance para que a relação respire e melhore. E também entender nem tudo depende de você apenas, mas que você deve sempre fazer a sua parte.
Muita gente usa drogas, remédios ou bebidas para abstrair, é um escape, que no fundo não ajuda muito. A abstração tem que se tornar uma forma de ver o mundo, de ver os problemas, de se ver acima deles. Não se pode alienado ou se eximir das responsabilidades, para abstrair é preciso reforçar a autoestima e ter a certeza de que os problemas não são maiores do que você.
A abstração também é útil na hora de selecionar com quem vale a pena gastar energia. Quando estamos em contato com outras pessoas, trocamos energias e algumas passam energias ruins. É preciso identificar essas fontes “podres” e bloqueá-las ou tentar ajudá-las, se forem pessoas queridas, para que você não se sinta desgastado. Não é preciso cortar relações com pessoas de energias ruins, basta usar a mesma “técnica” de abstração e não deixar que elas entrem e influenciem a sua vida. Abstrair é saber bloquear tudo de ruim que te cerca e, mesmo com problemas, aproveitar a vida.
Há, porém, pontos na vida que não podem ser ignorados, pois se ficarem muito tempo sem serem levados a sério podem trazer conseqüências no futuro. A saúde, a família, o trabalho e o coração são alguns dos pontos que devem entrar na sua prioridade diária. Apesar de ser possível ignorar esses pontos, muitas vezes problemáticos em nossas vidas, é preciso diariamente se lembrar deles e investir, para no futuro colher os frutos.
Não se trata de criar um mundo a parte, mas tomar apenas atitudes conscientes e livres de incertezas, onde o resultado é esperado e previsível. Abstrair é não se deixar abater pelas pequenas coisas que dão errado e se concentrar nas grandes conquistas, é poupar energia e se dedicar a quem merece. E enquanto essas conquistas esperadas não chegam, você ganha tempo para curtir a vida.

Beijos,

Camila Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos marcar um dia?

Pra ler ouvindo. Banda do mar - Vamo embora. Se você não gostar, eu saio. Se gostar, eu fico. Se eu ficar, eu moro. Se eu morar, unidos. Se eu não gostar, eu saio. Se eu sair, te levo. Se eu te levar, pra sempre. Se pra sempre, sorrio. Vamos marcar um dia pra eu te contar como eu vejo o mundo? Sou especialista em achar as coisas, pois de base tenho algumas experiências e alguns filmes. Mas vai que você pega gosto pelo jeito que eu vejo? E de carona pega gosto pelo jeito que te pego. Vai que. Também quero saber como você vê as coisas. Estou empolgado em imprimir suas palavras pra levar no bolso e me lembrar que o meu não é o único jeito de ver a vida. Se der certo, eu vibro. Se não der certo, eu guardo. Se eu guardar, pra sempre. Se pra sempre, unimos. Vamos marcar um dia pra me contar de você? Quando souber, me fala o dia, aí eu já reservo minutos da minha vida pra dar atenção à sua. Quem sabe se fará um ensaio do que lá na frente vamos rir e suspirar sobre a presença um do outro…

te amo.

"Mas não diz eu-te-amo assim, cuspido ou sem fundamento ou por não saber o que falar. Diz que teve saudades quando sentiu meu perfume em alguma moça por aí, que lembrou de mim ao ouvir aquela canção da Mallu sobre o batom vermelho e que a moça do filme "O lado bom da vida" é doida como eu. Diz que te faço feliz, também, e aí sim acreditarei em eu-te-amo ou coisa assim."

do começo não dá pra enxergar o fim.

Vai durar o necessário. Talvez não tanto quanto eu gostaria. Talvez não tanto quanto você gostaria. Eu nem sei quem é você ainda. Você nem faz ideia de que eu sou. Vai durar algum tempo, sei lá quanto. Algum tempo. E que diferença faz saber agora? O medo de viver o fim atrapalha a gente de viver o começo. O que você vai fazer se eu acordar amanhã achando graça em outro sorriso? O que eu vou fazer se você acordar amanhã não querendo mais me responder no chat? São perguntas que a gente não precisa da resposta agora. Enquanto eu tiver disposta a continuar tendo você na minha vida, vou te ter. Eu não quero saber quando a gente vai terminar e como vai ser! Eu não quero ter que pensar na possibilidade da sua companhia deixar meus dias! Eu quero um espaço na sua vida pra eu encostar a minha. Nossa história não envolve nada além um do outro. E as datas de validade só servem para acelerar o consumo. Eu quero viver devagar. MAS CARALHO E DAÍ QUE ISSO TUDO PODE TERMINAR NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA?…