Pular para o conteúdo principal

A tal da Camila Ribeiro

18 Anos de muita vida.
Os dias se passam e cada vez mais eu vjo que estou numa fase de amizade, amizade comigo mesma , amizade com alguem que acredito nunca ter parado pra escutar e tentar entender , tenta-se entender o mundo todo mas nunca nós mesmos nao é verdade? nessa fase eh como se eu descobrisse as barreiras entre o que penso que sou e o que eu sou de fato , é como se vc percebesse que passou grande parte dos dias se importando com os outros e deixando de fazer coisas que se gosta somente pelo fato de "nao ficar bem" , e viver assim se auto-limitando livre no mundo mas ao mesmo tempo nas mais terriveis prisões imaginárias . É... mas a gente cresce e passa a observar as coisas por um outro angulo , passamos a ver mto mais da paisagem vista pela janela do nosso quarto , notamos que muita gente está ao seu lado mas ao mesmo tempo nem se importa com você , muita gente te trata bem mas nao fica feliz por sua felicidade , ao mesmo tempo que outras que vc nao notava eram puras de coração , acima de tudo isso... independente de tudo temos que caminhar todos os dias pela estrada da nossa vida, acordaremos de manha sabemos que iremos encontrar pedras, penhascos e lobos , mas tbm sabemos que durante o percurso terá flores, passaros e vida ... uma das melhores companhias possivel é nós mesmos , ninguem nos conhece tão bem quanto nós .
Da nossa janela vemos mtas paisagem , mas da janela do fundo do nosso olhar temos simplesmente nós por nós mesmos , nem magia , nem materialismo , apenas nós , unicos e especiais , cada janela tem a sua história , seus vendavais , suas cortinas limpas ou sujas mergulhadas na iris do sonho . Eu por eu mesma um caso de amor e de vivencia , uma amizade especial por toda vida.
Beijos,

Camila Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

te amo.

"Mas não diz eu-te-amo assim, cuspido ou sem fundamento ou por não saber o que falar. Diz que teve saudades quando sentiu meu perfume em alguma moça por aí, que lembrou de mim ao ouvir aquela canção da Mallu sobre o batom vermelho e que a moça do filme "O lado bom da vida" é doida como eu. Diz que te faço feliz, também, e aí sim acreditarei em eu-te-amo ou coisa assim."

Vamos marcar um dia?

Pra ler ouvindo. Banda do mar - Vamo embora. Se você não gostar, eu saio. Se gostar, eu fico. Se eu ficar, eu moro. Se eu morar, unidos. Se eu não gostar, eu saio. Se eu sair, te levo. Se eu te levar, pra sempre. Se pra sempre, sorrio. Vamos marcar um dia pra eu te contar como eu vejo o mundo? Sou especialista em achar as coisas, pois de base tenho algumas experiências e alguns filmes. Mas vai que você pega gosto pelo jeito que eu vejo? E de carona pega gosto pelo jeito que te pego. Vai que. Também quero saber como você vê as coisas. Estou empolgado em imprimir suas palavras pra levar no bolso e me lembrar que o meu não é o único jeito de ver a vida. Se der certo, eu vibro. Se não der certo, eu guardo. Se eu guardar, pra sempre. Se pra sempre, unimos. Vamos marcar um dia pra me contar de você? Quando souber, me fala o dia, aí eu já reservo minutos da minha vida pra dar atenção à sua. Quem sabe se fará um ensaio do que lá na frente vamos rir e suspirar sobre a presença um do outro…

do começo não dá pra enxergar o fim.

Vai durar o necessário. Talvez não tanto quanto eu gostaria. Talvez não tanto quanto você gostaria. Eu nem sei quem é você ainda. Você nem faz ideia de que eu sou. Vai durar algum tempo, sei lá quanto. Algum tempo. E que diferença faz saber agora? O medo de viver o fim atrapalha a gente de viver o começo. O que você vai fazer se eu acordar amanhã achando graça em outro sorriso? O que eu vou fazer se você acordar amanhã não querendo mais me responder no chat? São perguntas que a gente não precisa da resposta agora. Enquanto eu tiver disposta a continuar tendo você na minha vida, vou te ter. Eu não quero saber quando a gente vai terminar e como vai ser! Eu não quero ter que pensar na possibilidade da sua companhia deixar meus dias! Eu quero um espaço na sua vida pra eu encostar a minha. Nossa história não envolve nada além um do outro. E as datas de validade só servem para acelerar o consumo. Eu quero viver devagar. MAS CARALHO E DAÍ QUE ISSO TUDO PODE TERMINAR NO PRÓXIMO FIM DE SEMANA?…